O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Registrado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

MONUMENTO PRÉ-VIKING É DESCOBERTO NA SUÉCIA

Arqueólogos suecos anunciaram nesta sexta-feira (18) a descoberta do maior monumento da Idade do Ferro do país, na região do Velho Upsal, anterior à era viking.



Os pesquisadores se preparavam para escavar o solo para a construção de uma nova linha de trem, 70 km ao Norte de Estocolmo, quando se depararam com duas fileiras de pilares de madeira.
Lena Borenius-Joerpeland, arqueóloga do Conselho Nacional Sueco do Patrimônio, indicou que o monumento, perto de uma necrópole da Idade do Ferro escandinava, parece remontar ao século 5. 
A maior das duas fileiras tem um quilômetro de extensão e conta com 144 pilares. A outra tem a metade disso. "Os pilares eram altos, talvez medindo entre oito e dez metros", explicou Lena.
"Eram vistos a uma grande distância e, provavelmente, marcavam o acesso ao Velho Upsal", prosseguiu. "Poderia se tratar de uma demarcação territorial ou religiosa", acrescentou.



Hoje só se encontram conservados alguns restos de pilares, e os buracos nos quais eles estavam colocados. Na Idade do Ferro na Escandinávia, o Velho Upsal era um importante centro de comércio, religião, artesanato e administração judicial.
Os arqueólogos encontraram também ossos de cavalos, vacas e porcos nos buracos dos pilares: provas, segundo eles, de que ali eram sacrificados animais.
No entanto, quem ergueu o monumento e com que propósito permanece um mistério. "Poderia ser um marco territorial ou uma demarcação religiosa", disse.

Fonte: Notícias UOL.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

NOVA EDIÇÃO DO NOTÍCIAS ASGARDIANAS



O boletim NA (Notícias Asgardianas) está com nova edição, n. 5, confiram o conteúdo:


- Editorial: pg. 3.
- Entrevista com Neil Price, arqueólogo e especialista em Era Viking: pg. 5.
- Ensaio: As espadas Ulfberht, a lendária espada viking: pg. 12.
- Resenha: pg. 18
- Notícias de estudos escandinavos: pg. 21.
- Notícias de Arqueologia Escandinava: pg. 29.

- Notícias de outros grupos: pg. 34.


sábado, 12 de outubro de 2013

MESTRADO SOBRE REALEZA NÓRDICA NA PUC-SP

O Programa de Pós Graduação em História da PUC-SP recebeu a apresentação pública da dissertação de Mestrado Godkynningr: o rei escandinavo como ponte entre deuses e humanos, de Munir Lutfe Ayoub, no dia 9 de outubro. A banca foi composta pelos professores doutores Johnni Langer (UFPB), Ettore Quaranta (PUC-SP) e Yvone Dias Avelino (PUC-SP).




Munir é membro do NEVE, Núcleo de Estudos Vikings e Escandinavos e realiza estudos sobre a Escandinávia Medieval há vários anos, além de participar de eventos em estudos medievais. A pesquisa realizou um estudo comparado entre fontes literárias e arqueológicas, buscando compreender as transformações ideológicas, políticas e religiosas da realeza nórdica durante a Era Viking. A pesquisa é uma das primeiras no Brasil que aprofunda metodologicamente a relação entre fontes da cultura material no período pagão e as fontes escritas durante o cristianismo, além de conceder algumas discussões historiográficas ainda pouco conhecidas no país, como a questão da realeza sagrada. Munir atualmente desenvolve um projeto de doutorado, com o intuito de aprofundar-se no tema da religiosidade da Escandinávia medieval.


O sacrifício de Domaldi, um dos temas analisados pela dissertação de Munir

Resumo  da dissertação: O presente trabalho por meio de uma metodologia comparada entre as fontes literárias e arqueológicas buscou compreender as modificações ocorridas nas praticas cultuais que possibilitaram a forja de ideais, de legitimação e a formação das funções das realezas escandinavas, além de buscar as funções e ânsias que esses homens tinham sobre seus deuses. Evidenciando por fim a importância dos antigos costumes nórdicos e da mitologia nórdica como instrumento de legitimação e de criação de poderes sociais, contribuindo para a compreensão de um período onde rito, mito e os poderes sociais estavam em plena conexão, relações essas que marcariam o período Viking na Escandinávia. Tendo assim sua baliza temporal inserida entre os séculos VIII e X sendo o primeiro o século no qual surgiram as primeiras realezas escandinavas e o segundo o século no qual os povos escandinavos começaram a sofrer um processo de conversão ao cristianismo. 



Para maiores informações e contatos com Munir Ayoub, clique aqui.