O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Registrado no CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br

sábado, 26 de dezembro de 2015

VIKINGS EM MESTRADO NA UFRRJ



 

Fábio Baldez, membro do NEVE, acaba de ser aprovado no Mestrado em História da Universidade Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), com o projeto de pesquisa: "A guerra na Era Viking (Séculos VIII a XI) - a cultura guerreira como elemento inerente ao rei escandinavo".
 



quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

O NEVE EM 2015



 O NEVE EM 2015:

- 6.724 membros no grupo do Facebook: https://www.facebook.com/groups/gruponeve/
- 2.623 curtidas na página do Facebook: https://www.facebook.com/NEVE-N%C3%BAcleo-de-Estudos-Vikings-e-Escandinavos-340201129357809/
- 98.082  visualizações no blog: http://neve2012.blogspot.com.br/
- 520 visualizações do Notícias Asgardianas: http://neveufpb.wix.com/noticiasasgardianas
- 18.456 visualizações do NEVE no Academia: https://ufpb.academia.edu/NEVEN%C3%9ACLEODEESTUDOSVIKINGSEESCANDINAVOS

PERIÓDICOS

Notícias Asgardianas 9, 2015, dossiê: Ritos e crenças nórdicas. Disponível em: http://neveufpb.wix.com/noticiasasgardianas 

Revista Brasileira de História das religiões 23, 2015: dossiê: Mito e Religiosidade Nórdica. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RbhrAnpuh 

EVENTOS

III COLÓQUIO DE ESTUDOS VIKINGS E ESCANDINAVOS, 8 e 9 de outubro de 2015, UFPB. http://ufpb2014.blogspot.com.br

ARTIGOS
 
- A Arqueologia da Religião Nórdica na Era Viking: perspectivas teóricas e metodológicas, SIGNUM 16(1), 2015, ABREM, Disponível em: www.academia.edu/14757603
 
- Constelações e mitos celestes na Era Viking, Roda da Fortuna 4, 2015: www.academia.edu/14285645

LIVROS
 
Dicionário de Mitologia Nórdica. São Paulo: Hedra, 2015. http://www.livrariacultura.com.br/p/dicionario-de-mitologia-nordica-42865031

Na trilha dos Vikings: estudos de religiosidade nórdica. João Pessoa: Editora da UFPB, 2015, 283 p. ISBN: 978-85-237-0992-1. Versão digital disponível em: www.academia.edu/12575618

PÓS GRADUAÇÃO

Defesa de Mestrado:
"Imaginário e identidade na conversão da Islândia", de André Araújo de Oliveira. A dissertação faz parte do Programa de Pós Graduação em História pela UFMA e teve como orientador o prof. Dr. Marcus Baccega

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

CHAMADA PARA ANAIS DO III CEVE

CHAMADA PARA ANAIS DO III CEVE

Os pesquisadores que apresentaram trabalhos (comunicações e palestras de mesas redondas) durante o III Colóquio de Estduso Vikings e Escandina vos (UFPB, 2015) estão convidados a publicarem seus trabalhos na edição 10 do boletim Notícias Asgardianas. O limite para envio dos trabalhos é até o dia 20 de janeiro ao e-mail:  neveufpb@yahoo.com.br e a formatação deve seguir estritamente as normas do periódico, disponíveis em: http://neveufpb.wix.com/noticiasasgardianas



 

domingo, 6 de dezembro de 2015

MEMBRO DO NEVE É APROVADO EM DOUTORADO NA UFMT



O historiador André de Oliveira, membro do NEVE, acaba de ser aprovado no processo de seleção para o Doutorado em História pela Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). O projeto A construção da identidade cristã islandesa na Saga do santo Jónsserá orientado pelo prof. Dr. Leandro Duarte Rust (UFMT/VIVARIUM).

André é pioneiro em nosso país no estudo da cristianização da Islândia. Além de sua dissertação de mestrado em História defendida na UFMA (Imaginário e identidade na conversão da Islândia, clique aqui) é autor dos verbetes Cristianização e Sobrenatural no Dicionário de Mitologia Nórdica, além de recente artigo publicado na Revista Brasileira de História das Religiões (clique aqui). 
Anteriormente, também publicou um estudo sobre as sagas islandesas (História e Cultura, 2013).




sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

LANÇAMENTO: NA TRILHA DOS VIKINGS



LANÇAMENTO: NA TRILHA DOS VIKINGS 

Na trilha dos Vikings: estudos de religiosidade nórdica, de Johnni Langer. João Pessoa: Editora da UFPB, 2015, 283 p. ISBN: 978-85-237-0992-1 

Lançamento: Espaço Cultural – EXPO 60 anos – Estande da UFPB Dia 05/12/2016, 19h, João Pessoa, PB. 

Os exemplares serão distribuídos aos pesquisadores e centros de estudos medievais e de história das religiões do Brasil. 


A versão digital está disponível no Academia/Edu, clique aqui 






terça-feira, 1 de dezembro de 2015

ESTUDO NÓRDICO BRASILEIRO É CITADO NA AUSTRÁLIA



O artigo brasileiro Constelações e mitos celestes na Era Viking foi citado pelo pelo astrônomo australiano Gary Thompso no estudo bibliográfico: Studies of Occidental Constellations and Star Names to the Classical Period: An Annotated Bibliography. 

O texto e a citação: Langer, Johnni. (2015). "Constelações e mitos celestes na Era Viking (Constellations and celestial myths in Viking Age): reflexões historiográficas e etnoastronômicas." (RODA DA FORTUNA, Volume 1, Number 4, Pages 107-130). [Note: Portuguese-language article. He is a Professor at Universidade Federal da Paraiba, Brazil.] 



Para acessar o estudo australiano, clique aqui. 

Para acessar o artigo Constelações e mitos celestes na Era Viking, clique aqui.


terça-feira, 24 de novembro de 2015

PALESTRA SOBRE MITOLOGIA NÓRDICA EM MARINGÁ, PR

 
Palestra: "As representações de honra e vingança nas narrativas mitológicas e heróicas dos Vikings (Escandinávia - Séculos VIII a XII)", com Flávio Guadagnucci Palamin (Doutorando em História pela UEM, membro do NEVE, co-autor do Dicionário de Mitologia Nórdica).
UEM - Campus Sede (H-12 Sala 14), dia 30/11, das 17h30 às 19h30.
Ciclo de Palestras - Trajetórias de Pesquisa em História, Cultura e Política.
Promoção: DHI/PPH/LERR/LAPPOM
Público: Alunos e professores dos cursos de Ciências Humanas, professores da Rede Básica de Educação e público interessado em geral.
https://www.facebook.com/events/1648603638755858/
 
 

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

CONCURSO CULTURAL: SÉRIE VIKINGS

 
CONCURSO CULTURAL: SÉRIE VIKINGS
O grupo NEVE vem a comunicar a abertura de um concurso cultural para o dossiê Série Vikings (NA 10). O melhor ensaio será premiado com dois livros (Dicionário de Mitologia Nórdica e uma versão impressa do NA). Todo trabalho enviado para o dossiê será avaliado e o resultado final definido pela equipe editorial do NA, sendo o resultado publicado no site e no blog do NEVE.
Critérios para o concurso:
1 - não ser membro do NEVE (registrado no CNPQ)
2 - estar matriculado em curso regular de IES ou ser profissional graduado ou docente
3 - o ensaio deve estar adequado às normas do boletim e à temática do dossiê da edição 10 do NA (série Vikings)
4 - o ensaio deve apresentar norma padrão da língua escrita
5 – Critérios para avaliação: qualidade da narrativa, originalidade do tema, metodologia, problemáticas, bibliografia.
 
Chamada para o dossiê Série Vikings (edição 10 do NA)
O boletim Notícias Asgardianas (ISSN: 1679-9313) realizará em sua décima edição um dossiê especial dedicado à série televisiva Vikings, do History Channel. Além de constituir um grande sucesso de público, a série vem despertando interesse renovado no estudo ou conhecimento do mundo nórdico na Alta Idade Média, reforçando o fascínio que o Ocidente vem construindo desde o início do Oitocentos sobre a figura do viking. Os interessados podem enviar propostas de análise desta produção midiática e artística, contendo artigos envolvendo perspectivas da História, Literatura, cotidiano, religiosidade, política, aspectos sociais e culturais, semióticos e estéticos, cinematográficos, ressignificações e imaginário social.
 
Os trabalhos devem ser enviados até o dia 20 de janeiro de 2016 ao e-mail: neveufpb@yahoo.com.br
 
 
 
 

domingo, 15 de novembro de 2015

Arqueólogo amador encontra tesouro Viking em ilha dinamarquesa

Curador do museu: um tesouro como esse só é encontrado a cada dez ou quinze anos

 It’s very rare to have found so many Harald Bluetooth coins (photo: Museum Vestsjælland)
 
É algo muito raro encontrar tantas moedas com a efígie de Haroldo Dente Azul (foto: Museu de Vestsjælland)

 
28 de outubro de 2015, 8:31, por Christian W. Tradução de Pablo Gomes de Miranda (UFRN/NEVE)

Um arqueólogo amador fez uma descoberta esplêndida na ilha de Ømo, ao largo da costa ao sul da Zelândia.

A descoberta – que consiste em um raro tesouro de prata, datado desde a Era Viking – foi feita quando Robert Hemming Pulsen realizou uma viagem a trabalho para instalar cabos de fibras óticas. Junto Ele levou consigo o seu detector de metais e saiu à caça de tesouros enterrados após a tarefa.

“Um tesouro como esse só é encontrado a cada dez ou quinze anos”, disse Hugo Hvid Sørensen, o curador do Museu de Vestsjælland, onde o tesouro agora está em exposição. “ele abrange vários itens e está muito bem conservado em razão de ter sido enterrado em terra arenosa”.

Facetas de Haroldo Dente Azul

Poulsen fez a descoberta original em setembro, logo depois o Museu de Vestsjælland foi autorizado pela autoridade cultural Kulturstyrelsen a lidar com o sítio de escavação, que foi prospectado por completo ontem.

Sørensen sustentou que o achado é importante porque vai fornecer informações aos estudiosos sobre um dos períodos mais antigos da Dinamarca.

“É muito raro encontrar tantas moedas com a efígie de Harald Blåtand (Haroldo Dente Azul) – uma das moedas mais antigas desse período”, disse Sørensen.

Artigo original em inglês: http://cphpost.dk/news/amateur-archaeologist-finds-viking-treasure-on-danish-island.html

domingo, 8 de novembro de 2015

O DMN EM PROMOÇÃO NA CULTURA!



O Dicionário de Mitologia Nórdica está em promoção na Livraria Cultura, sendo vendido a R$ 47,90. Aproveitem e adquiram a melhor obra em português sobre o tema! Organizado e escrito pela equipe do NEVE, além de contar com a colaboração de especialistas estrangeiros.

 
 

domingo, 1 de novembro de 2015

NEVE PARTICIPA DE MESA REDONDA EM FORTALEZA

 
 
O historiador Lucas Fernandes (PPGH-UECE/membro do NEVE), participou de uma mesa redonda em Fortaleza com a comunicação: "A Construção da Pesquisa em Escandinavística Medieval no Brasil". A mesa foi promovida pelo ARCHEA – Grupo de Pesquisa em Cultura Escrita na Antiguidade e na Medievalidade (UECE).

Com o título "Pesquisa em História Medieval: possibilidades e limites no campo historiográfico cearense", a mesa também contou com a participação da Profa. Ms. Raquel Carvalho (PPGLetras/ UFC), Luan Lucas Araújo (História UECE/ IC-FUNCAP), Lívia Gouveia (História UECE/ IC-UECE) João Bruno Fraga (História UECE/ IC-UECE).
O local da atividade foi o auditório do MAHIS/ UECE (Mestrado Acadêmico em História e Culturas).
A seguir, um relato de Lucas Fernandes sobre a sua participação no evento:

"O Grupo ARCHEA buscou realizar uma mesa que contivesse tanto apresentação de pesquisa, como também apresentasse para os alunos de graduação as possibilidades de realizar no Brasil, especificamente no Ceará as pesquisas em medieval. Nesse sentido eu apresentei um trabalho intitulado “A Construção da Pesquisa em Escandinavística Medieval no Brasil”, onde buscava apontar o panorama histórico e a situação medieval do país, assim como apontar as possibilidades, ferramentas e desafios do pesquisador. Nesse sentido, apresentei elementos de constituição da pesquisa, como fazer, como localizar fontes, como realizar e onde publicar, apresentação de grupos de pesquisa e estudo, panorama da produção nacional da área. Buscando fomentar o incentivo a pesquisa e revelar o constante aumento da produção de referências nacionais, assim como indicar os elementos que propiciaram a construção dessa pesquisa e a evolução do cenário atual. O trabalho focou em pensar elementos metodológicos de pesquisa, análises de fontes e da inserção da História Cultural nos objetos do medievo, focando na análise das últimas produções sobre Escandinávia, apresentando o Dicionário de Mitologia Nórdica (publicado pela Editora Hedra, 2015), o boletim Notícias Asgardianas, dissertações, teses e outros elementos da produção historiográfica. Por fim, como exemplo, foi dialogado com a construção da minha própria pesquisa e seus desafios a vir e os já superados e como esse processo se deu e como se pretende prosseguir."



sábado, 31 de outubro de 2015

NEVE NO DIAS DAS BRUXAS!



Comemore o dia das bruxas lendo o dossiê: Bruxaria e Feitiçaria Nórdica (NA 6). Trata-se da edição do Notícias Asgardianas mais acessada no Academia.Edu (mais de 3.000 visualizações).

Clique aqui:
 

  Sumário:

Mandrágora: a planta das bruxas (Luciana de Campos, p. 4)...


  Os gatos e a bruxaria nórdica (Johnni Langer, p. 10)


  O Pactum cum diabolo e a bruxaria nórdica (artigo de Stephen A. Mitchell, tradução de Pablo Miranda, p. 14)


  Diabolismo e bruxaria na Escandinávia (José Fernandes, p. 19)


  A bruxaria nórdica no folclore (Maykon Jansen, p. 26)


  A feitiçaria na Islândia: o testemunho das sagas (Grégory Cattaneo, p. 33)


  O bastão da feitiçaria escandinava (texto de Hugo Gye, tradução de Gustavo Braga Santos, p. 39)


  Repensando a bruxaria nórdica (Johnni Langer, p. 47)



quinta-feira, 29 de outubro de 2015

DESCOBERTAS SURPREENDENTES SOBRE AS VESTIMENTAS VIKINGS


Resultados fascinantes de novas revisões dos artefatos das embarcações funerárias de Valsgärde em Uppsala apontam que aristocratas do período Viking estavam vestidos como reis da Ásia Central.

 
Em Valsgärde a norte de Old Uppsala há um cemitério com embarcações funerárias que foram conhecidos por quase cem anos. Em conexão com coleções de arqueologia da universidade de Valsgärde os artefatos foram levados para o Centro de Biologia Evolutiva, EBC, em Uppsala onde a arqueologa e doutora em arqueologia têxtil pela Universidade de Uppsala, Annika Larsson, teve a chance de trabalha-los. A arqueóloga encontrou muitos vestígios excepcionalmente bem preservados de tecidos de seda coloridos com padrões sofisticados.
- As sedas nas sepulturas foram apontadas pela arqueóloga como pertencentes a um padrão de traje russo e a um padrão de traje dos reis persas. Os Vikings em Gamla Uppsala e os chefes de Valsgärde foram assim enterrados portando trajes de seda de inspiração persa e trajes apontados pela arqueóloga como produzidos com seda típica da China. Apontando assim novos contatos e intercâmbios com diferentes povos ainda não considerados pela maior parte dos arqueólogos.

Restos humanos encontrados.

Annika Larsson e seus colegas também descobriram restos humanos destas embarcações funerárias datados para o século X.
- Muitas vezes, os livros de registro dos materiais arqueológicos não apresentam nenhum resto de seres humano. Então ficamos surpresos quando encontramos os dentes e restos de crânios e outros ossos. Pequenos pedaços de restos do esqueleto foram suficientemente bem preservados o que tornou possível a extração de DNA. Annika Larsson contatou a geneticista molecular Marie Allen, e desde então elas têm trabalhado nesse projeto juntas.
- É gratificante encontrar vestígios de ossos e dentes, materiais duros que permitem pela moagem das camadas exteriores a remoção do DNA de tempos posteriores, mas não é sempre que existe a possibilidade de extrair o DNA suficiente para analise a partir de tais ossos- diz Marie Allen, que é professora de genética forense.

Ansiosas pelos resultados.

Ambas as investigadoras estão animadas sobre os possíveis resultados dos testes de DNA. É intrigante a possibilidade de que os resultados podem apontar para o fato de que não apenas os belos tecidos, mas as pessoas enterradas também podem ter vindo dos países do leste.
- Análises de DNA podem agora serem usadas para dar uma indicação da origem de um indivíduo- diz Marie Allen .
Em uma embarcação funerária Viking em Gamla Uppsala também foram encontrados objetos que retratam as mulheres com o mesmo tipo de roupa que os homens. Isso pode indicar que as crenças vikings tinham um papel importante a desempenhar na disposição dos artefatos que preparavam os mortos para o além-vida. Marie Allen espera que as análises de DNA possam ser capazes de dizer se qualquer uma das pessoas enterradas em Valsgärde foi possivelmente uma mulher.

O intercambio comercial com Sogdiana.


Os tecidos enterrados em Valsgärde são apontados principalmente como originados de Sogdiana, a leste do Mar Cáspio. Confirmando assim o contato entre os Vikings e os persas, mas teriam estes Vikings viajados para regiões como Sogdiana para fazer compras como as de pano e outras mercadorias?
- Muitas vezes é tomado como certo que não foram eles que estavam lá, mas eles poderiam estar- diz Annika Larsson.
Surgem assim questões como: Os vikings teriam ido fazer comercio em Sogdiana? Havia intermediários? É ótimo que com estes tipos de projetos interdisciplinares temos a oportunidade de ajudar a dissipar os mitos e colocar questões em bases mais científicas.

Geralmente com roupas de seda.

Uma imagem comum que temos dos Vikings é que eles estavam vestidos com grossos tecidos de lã. Provavelmente uma verdade se considerarmos a maior parte das roupas do cotidiano, mas em túmulos mais ricos são quase sempre roupas de seda.
Estes padrões de roupas de seda marcou a cultura sueca daquele período.
- Muitos dos padrões de artesanato suecos daquele período possuem um padrão tradicional persa- disse Annika Larsson.
Eu acho isso muito legal! Este é mais um exemplo da era Viking de um contexto internacional, contexto que definiu a cultura destes povos como influenciada por todo o mundo conhecido, tal fato pode influenciar a forma como pensamos hoje. Essa é uma das minhas motivações para mostrar que a atividade de arqueólogos e historiadores é muito importante e relevante para nossos dias atuais.
 
 

FATOS: As diferentes produções da seda e a seda de Valsgärde.

 
As diferentes propriedades das sedas mostram onde os tecidos foram feitos. Os fios de seda provem do bicho da seda e são extraídos de seus casulos de diferentes maneiras nas diferentes regiões de sua produção, e os fios são tecidos de diferentes formas na China e no Oriente Médio.
O lugar onde os Vikings compravam o tecido era quase certamente a área chamada de Sogdiana, na Ásia Central ao leste do mar Cáspio. Sogdierna foi um local muito prospero no ramo comercial e teve contato com a China e a Europa sendo influenciado pela cultura da seda chinesa e da antiga Pérsia. Sogdierna também tinha sua própria produção de seda. Os Vikings provavelmente entraram em contato com sogdierna por viagens ao longo do rio Volga e do Mar Cáspio.
 Texto original:
 
Tradução de Munir Lutfe Ayoub (NEVE)

 

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Arte rupestre escandinava e Mitologia Nórdica: algumas reflexões comparativas

Comunicação: Arte rupestre escandinava e Mitologia Nórdica: algumas reflexões comparativas, apresentada durante o III Colóquio de Estudos Vikings e Escandinavos, UFPB, 2015.
 

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Pedestre encontra espada viking de 1200 anos na Noruega

Um pedestre que caminhava em uma antiga rota entre a Noruega oriental e ocidental, encontrou uma espada Viking de 1200 anos após se sentar para descansar de uma pequena pescaria.
 
Hiker finds 1,200-yr-old Viking sword in Norway
A espada está em uma condição tão boa, que poderia ser utilizada ainda hoje (Créditos: Conselho do Condado de Hordaland)
 
A espada, encontrada em Haukeli no centro-sul da Noruega será enviada para os cuidados do Museu da Universidade de Bergen.
 
Jostein Aksdal, um arqueólogo junto ao Condado de Hordaland, disse que a espada estava em tão boas condições que, se lhe fossem dados uma nova empunhadura e um polimento, ela poderia ser utilizada ainda hoje.
 
“A espada foi encontrada em condições excelentes. É muito notável se deparar com uma espada em que meramente falta a sua empunhadura”, disse ele.
 
“Quando a neve se desfazer na primavera, nós prospectaremos o lugar onde a espada foi achada. Se encontrarmos vários objetos ou mesmo um enterramento, talvez possamos elucidar a história por trás da espada”, acrescentou.
 
Ele disse ainda que julgando pelo comprimento de 77cm da espada, ela parece vir dos anos 750 a 800 d.C.
 
“Essa era uma espada comum na Noruega Ocidental. Mas também era uma arma cara e o dono deve tê-la usado para mostrar sua autoridade”, finalizou.
 
Tradução de Pablo Gomes de Miranda (UFRN/NEVE)
 
 
 

domingo, 25 de outubro de 2015

MESA-REDONDA: ESTUDOS DE LITERATURA NÓRDICA MEDIEVAL



MESA-REDONDA: ESTUDOS DE LITERATURA NÓRDICA MEDIEVAL
Mediação da professora Ms. Luciana de Campos (PPGL-UFPB/NEVE).

- “Breves considerações sobre as estruturas poéticas do nórdico antigo: exemplos de Fornyrðislag e de Dróttkvætt”.
Prof. Ms. Pablo Gomes de Miranda (UFRN/NEVE).


- “Símbolo de ruína ou fonte de sobrevivência? A duplicidade da 
Baleia na literatura medieval islandesa”.
Profa. Andressa Ferreira (PPGCR-UFPB/NEVE).


- “As Sagas Lendárias (Fornaldarsögur): uma introdução”.
Prof. Ms. Luciana de Campos (PPGL-UFPB/NEVE).


04 de novembro, 10h30 ÀS 12h00, Auditório do Centro de Educação da UFPE
2a. Jornada de Estudos Medievais e Renascentistas, UFPE


https://www.facebook.com/JEMeReUFPE?fref=ts

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

LANÇAMENTO: SITE DO NOTÍCIAS ASGARDIANAS



O boletim Notícias Asgardianas agora possui um site próprio, disponibilizando todas as suas edições, além das novas chamadas e outras informações pertinentes. O NA continua com seu endereço no Academia.Edu, mas agora está com mais flexibilidade e acesso para os internautas. Lembramos que o próximo boletim contará com um dossiê sobre a série Vikings e o limite para envio das propostas é 20 de janeiro de 2016, ao e-mail do NEVE: neveufpb@yahoo.com.br
 
Mais informações no site do NA: http://neveufpb.wix.com/noticiasasgardianas
 
 
 
 
 
 
 

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

PALESTRA SOBRE ARQUEOLOGIA FUNERÁRIA NÓRDICA


Resultado de imagem para Terje Gansum
Professor Terje Gansum, arqueólogo e chefe do conselho de patrimônio cultural 
 
Quarta-feira, dia 28 de outubro as 19:00h no Midgard Historisk Senter em Vestfold, na Noruega, o professor, arqueólogo e chefe do conselho de patrrimonio cultural da região, Terje Gansum, apresentará seus estudos sobre os montes funerários de Borre e sobre suas salas de banquetes. Estes achados arqueológicos apontam a região de forma objetiva como um importante centro de poder na Idade do Ferro.
Gansum ainda irá apresentar respostas a uma pergunta que os arqueólogos tem feito há muito tempo e que suas novas pesquisas podem ajudar a lançar novas luzes: como se encontrava no periodo Viking a instalação portuária que tem sido apontada como essencial para o desenvolvimento dessa região? 
Tradução de Munir Lutfe Ayoub (NEVE)
 
 
 

terça-feira, 20 de outubro de 2015

CURSO: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MITOLOGIA NÓRDICA


 
 
CURSO DE EXTENSÃO: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MITOLOGIA NÓRDICA
Horário: 14h as 17h, sala 318, 1o andar, Centro de Educação da UFPB
Carga horária: 36 horas, 12 aulas de 3 horas, de 11 de novembro a 4 de dezembro de 2015.
Inscrições: com Filipe no Departamento de Ciências das Religiões da UFPB (Centro de Educação) pela tarde. Limite de 60 inscritos.
Certificado: os inscritos que frequentarem 75% do curso, receberão um certificado.

Ementa: O curso pretende vislumbrar alguns dos aspectos básicos no estudo da Mitologia Nórdica, contemplando as principais fontes literárias, arqueológicas e artísticas, além de uma introdução aos principais temas e objetos de estudo. Também serão contempladas as atuais discussões teóricas e metodológicas envolvendo os estudos nórdicos sobre mito e religiosidade pré-cristã na Escandinávia.

 Conteúdo: As fontes; temas e narrativas; teorias e métodos de pesquisa.

Público-alvo: estudantes de graduação e pós graduação, comunidade acadêmica em geral.

Ministrantes: Prof. Johnni Langer (UFPB); Luciana de Campos (PPGL-UFPB); Ricardo Wagner Menezes de Oliveira (PPGCR-UFPB); Andressa Furlan Ferreira (PPGCR-UFPB); Angela Albuquerque (PPGCR-UFPB).

 
Estrutura do curso e conteúdo:

Aula 1: Principais fontes; aspectos teóricos e conceituais; metodologias

Aula 2: Odin – as múltiplas faces da deidade aristocrática

Aula 3: Thor – a deidade mais popular

Aula 4: O deus Balder

Aula 5: Loki: as facetas de uma divindade polêmica e misteriosa

Aula 6: Ragnarok: a escatologia nórdica

Aula 7: A magia e o pensamento mágico no mundo nórdico

Aula 8: Fertilidade, mundo doméstico e o feminino: as deusas

Aula 9: Plantas mágicas, bebidas e alimentos sagrados

Aula 10: Os deuses do mar

Aula 11: Natureza, sabedoria e caos: os Gigantes e as gigantas

Aula 12: Dísir, valquírias e seres fantásticos

 Horário: 14h as 17h, sala 318, 1o andar, Centro de Educação da UFPB

Bibliografia Básica:

Fontes primárias:

ANÔNIMO. Edda Mayor, tradução de Luis Lerate. Madrid: Alianza Editorial, 2009.

ANÔNIMO. The Poetic Edda, tradução de Carolyne Larrington. Oxford: Oxford Universty Press, 1999.

ANÔNIMO. Saga dos Volsungos, tradução de Theo Borba Moosburger. São Paulo: Hedra, 2009.

ANÔNIMO. Poesía antiguo-nórdica: antologia (siglos IX-XII), tradução de Luis Lerate. Madrid: Alianza Editorial, 1993.

GRAMATICUS, Saxo. The history of the Danes, tradução de Peter Fisher. New York: D. S. Brewer, 2008.

STURLUSON, Snorri. Edda Menor, tradução de Luis Lerate. Madrid: Alianza Editorial, 2004.

STURLUSON, Snorri. The Prose Edda, tradução de Jesse Byock. London: Penguin Books, 2005.

STURLUSON, Snorri. La saga de los Ynglingos, tradução de Santiago Lluch. Madrid: Alianza Editorial, 2012.

STURLUSON, Snorri. Heimskringla, tradução de Lee Hollander. Austin: University of Texas, 2009.

 
Estudos básicos e manuais:

BERNÁRDEZ, Enrique. Los mitos germánicos. Madrid: Alianza Editorial, 2002.

BOYER, Régis. Herós et dieux du Nord: guide iconographique. Paris: Flammarion, 1997.

DAVIDSON, Hilda. Deuses e mitos do Norte da Europa. São Paulo: Madras, 2004.

DAVIDSON, Hilda. Escandinávia. Lisboa: Editorial Verbo, 1987.

DUMÉZIL, Georges. Do mito ao romance. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

GRANT, John. Introdução à mitologia Viking. Lisboa: Editorial Estampa, 2000.

LANGER, Johnni (Org.). Dicionário de Mitologia Nórdica. São Paulo: Hedra, 2015.

LANGER, Johnni. Na trilha dos vikings: estudos de religiosidade nórdica. João Pessoa: UFPB, 2015. Disponível em: www.academia.edu/12575618

LANGER, Johnni. Deuses, monstros, heróis: ensaios de mitologia e religião viking. Brasília: UNB, 2009.

LANGER, Johnni. Guia crítico da Mitologia Escandinava: fontes e bibliografia. Webartigos, 2010. Disponível em: www.academia.edu/1741588

LINDOW, John. Norse mythology: a guide to the gods, heroes, rituals, and beliefes. Oxford: Oxford University Press, 2001.

PAGE, Raymond Ian. Mitos nórdicos. São Paulo: Centauro, 1999.

SIMEK, Rudolf. Dictionary of Northern Mythology. London: D.S. Brewer, 2007.

Bibliografia secundária:

ABRAM, Christopher. Myths of the pagan North: the gods of the norsemen. London: Continuum, 2011.
ACKER, Paul & LARRINGTON, Caroline (Eds). The Poetic Edda: essays on Old Norse Mythology. New York: Routledge, 2002.

ANLEZARK, Daniel (Ed.). Myths, legends, and heroes: essays on Old Norse and Old English literature. Toronto: University of Toronto Press, 2011.

BOYER, Régis. La grande déesse du Nord. Paris: Berg International, 1995.

BOYER, Régis. Le monde du double: la magie chez les anciens Scandinaves. Paris: Berg International, 1986.

DAVIDSON, Hilda. The lost beliefs of Northern Europe. New York: Routledge, 2001.

DAVIDSON, Hilda. Roles of the Northern Goddess. London: Routledge, 1990.

DAVIDSON, Hilda. Myths and symbols in Pagan Europe: early Scandinavian and celtic religions. New York: Syracuse University Press, 1988.

DUMÉZIL, Georges. Mythes et dieux de la Scandinavie ancienne. Paris: Éditions Gallimard, 2000.

DUMÉZIL, Georges. Loki. Paris: Flammarion, 1986.

DUMÉZIL, Georges. El destino del guerrero: aspectos míticos de La función guerrera entre los indoeuropeos. Mexico: Siglo Veintiuno, 2003.

DUMÉZIL, Georges. Los dioses de los germanos: ensayo sobre la formación de La religión escandinava. Mexico: Siglo Veintiuno, 1990.

HARRIS, Joseph. Eddic Poetry. In: CLOVER, Carol & LIDOW, John (Eds). Old Norse-Icelandic Literature: a critical guide. London: University of Toronto Press, 2005, pp. 68-156.

LANGER, Johnni. O zodíaco viking: reflexões sobre etnoastromia e mitologia escandinava. História, imagem e narrativas 16, 2013. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LANGER, Johnni. Valquírias versus gigantas: modelos marciais na mitologia escandinava. Revista Brasileira de História das Religiões 13, 2012. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LANGER, Johnni. A morte de Odin? As representações do Ragnarök na arte das Ilhas Britânicas (séc. X). Medievalista 11, 2012. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LANGER, Johnni. Pagãos e cristãos na Escandinávia da Era Viking. Revista Brasileira de História das Religiões 4(10), 2011. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LANGER, Johnni. O mito do dragão na Escandinávia, parte 2: As Eddas. Brathair 7(1), 2007. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LANGER, Johnni. Mythica Scandia: repensando as fontes literárias da mitologia viking. Brathair 6 (2), 2006. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LANGER, Johnni. As estelas de Gotland e as fonte iconográficas da mitologia viking. Brathair 6(1), 2006. http://ufpb.academia.edu/JohnniLanger

LINDOW, John. Mythology and mythography. In: CLOVER, Carol & LIDOW, John (Eds). Old Norse-Icelandic Literature: a critical guide. London: University of Toronto Press, 2005, pp. 21-67.

MCKINELL, John. Meeting the Other in Norse Myth and Legend. London: D.S. Brewer, 2005.
 
 
 
QUINN, Judy et ali (Eds). Learning and understanding in the Old Norse World. London: Brepols, 2007.

ROSS, Margaret Clunie. Prolonged Echoes: Old Norse Myths in Medieval Northern Society. Odense: Odense University Press, 1994.

ROSS, Margaret Clunie. Prolonged Echoes: The Reception of Norse Myths in Medieval Island. Odense: Odense University Press, 1998.